Conecte com a gente!

Editorial

Após sete anos, espetáculo que revive a Revolução Farroupilha volta a Capivari do Sul

Publicado

em

Na próxima quinta-feira, dia 11 de agosto, Capivari do Sul irá receber o espetáculo teatral “Assim na Terra como no Mar – O dia em que a Marinha Farroupilha navegou em campo aberto”, que será apresentado no Pavilhão de Eventos do Parque Municipal Abrahão Nunes, a partir das 20h. O evento é uma realização da Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com produção de uma empresa privada, a Ckooqo, patrocínio da Ventos do Sul Energia e apoio da Prefeitura de Capivari do Sul.

Pela mídia de divulgação do evento, percebemos que o espetáculo se refere à Revolução Farroupilha, com a passagem de Giuseppe Garibaldi pelos campos de Capivari do Sul, história já bem conhecida de todos capivarienses e por sete vezes encenada através do projeto cultural “A Saga de Giuseppe Garibaldi em Capivari do Sul”. Este evento, que sempre foi um grande orgulho para o município, teve sua primeira apresentação durante a Expofeira de 2003, e a última em 2015. Nas edições seguintes da feira, 2017 e 2019, o espetáculo não ocorreu por questões financeiras.

Pelo que sabemos, a administração anterior iniciou uma busca de contatos e meios para retomar a realização do espetáculo e então foi iniciado um projeto de captação de recursos por meio das Leis de Incentivo à Cultura e Rouanet, que foi continuado pela atual administração.

No entanto, diferente dos outros espetáculos da Saga, nesse não haverá o envolvimento da prefeitura na organização e nem a participação da comunidade como atores. Também não será na cancha de laços, com o tão aguardado duelo de cavaleiros. Mas ao que tudo indica será um belo espetáculo, com muitas novidades e surpresas para o público.

A comunidade está ansiosa pelo retorno dos eventos organizados pelo município, principalmente a Expofeira. Após dois anos de pandemia, é importante iniciar a retomada destes eventos, como forma de movimentar o comércio e o turismo em Capivari, já que não somos um município com atrativos turísticos.

Aliás, temos o Rancho do Capivari, adquirido em 2014 pela Prefeitura, com a promessa de torná-lo um centro de eventos e recreação. Com certeza se o Rancho fosse aberto para visitas e passeios haveria uma grande procura, principalmente em razão do local ter sido moradia do cantor Teixerinha e por sua beleza local, entorno do Rio Capivari.

Conforme o Executivo, o local está sendo preparado para sediar muitos eventos do município e quem sabe até a retomada oficial da Saga, já que ela foi tombada como patrimônio histórico cultural imaterial do município, sancionada por Lei em 2013.



Copyright © 2021 Jornal Integração.