Conecte com a gente!

Colunista: Fátima Machado

Sistema Único de Saúde tem obrigação de realizar exames de próstata

Publicado

em

A Lei 13.045/2014 sancionada pela ex-presidente Dilma Rousseff, obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar exames para detecção precoce do câncer de próstata.

A medida foi publicada no Diário Oficial em 26 de novembro de 2014, também determina que profissionais de saúde devem ser capacitados visando futuros avanços em relação a prevenção. A nova Lei é ordinária do PLS 34/2005, do Senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), aprovado pelo Plenário do Senado.

Para fortalecer o Programa Nacional de Controle do Câncer de Próstata, a nova Lei prevê a sensibilização de profissionais de saúde por meio da capacitação e da reciclagem em relação aos avanços nos campos da prevenção e da detecção precoce da doença.

Segundo Fonseca et. al. (2014), em alguns casos, esta doença, pode causar a morte de forma agressiva, por não apresentar sintomas.

Evidenciando a relevância da prevenção, a Sociedade Americana de Câncer (American Câncer Society) atualizou suas diretrizes sobre dieta e atividades físicas para prevenção do câncer, com base nas evidências mais recentes publicadas desde a última atualização em 2012.

Os pesquisadores enfatizaram que manter um peso saudável e evitar ou limitar o álcool podem reduzir bastante o risco de uma pessoa desenvolver ou morrer de câncer.

De acordo com as novas orientações, esses hábitos de vida são os comportamentos mais importantes, evitar fumar, mudança de atitudes que as pessoas podem controlar para ajudar a diminuir o risco de câncer.

Porém, nenhuma dessas recomendações fará sentido se não for realizado desde a adolescência um excelente trabalho pedagógico voltado para os meninos.

Quando adultos, as pessoas têm o livre arbítrio de escolher como elas querem viver suas vidas e são totalmente responsáveis pelas suas escolhas, arcando também com as consequências.

Ensinar os homens na adolescência a conhecer seu corpo para estarem atentos a qualquer sinal de problema de saúde deveria fazer parte do currículo escolar, saúde masculina merece cuidado e atenção na escola também.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Copyright © 2021 Jornal Integração.