Conecte com a gente!

Litoral

Artesãs de Palmares, Mostardas e Osório participam de concurso virtual

As sete classificadas nas etapas municipais estão classificadas para o Primeiro Concurso Virtual de Artesanato em Lã Ovina

Publicado

em

Artesãs de Mostardas, Palmares do Sul e Osório tiveram peças manualmente feitas por elas classificadas para a etapa regional do Primeiro Concurso Virtual de Artesanato em Lã Ovina, que será promovido em setembro pela Emater/RS-Ascar. As sete artesãs foram escolhidas em etapas municipais que ocorreram dia 14 de agosto, pela internet, envolvendo Mostardas e dia 21 para as inscritas de Palmares do Sul e Osório.

De Mostardas, Julieta Goreth Lima da Costa, que apresentou um gorro e Noemi dos Santos Lemos, que fez um tapete e uma manta, foram classificadas. De Palmares do Sul, a artesã Elvira Regina Marques Rodrigues trouxe para o concurso uma boina. Já de Osório foram classificadas quatro artesãs do Distrito de Santa Luzia, integrantes do Grupo Tecendo Alegria: Adriana Lopes de Souza Rosa, que apresentou uma máscara adulto e recebeu o título de destaque inovação; Marilei dos Santos Costa, com a manta em mmacram; Rosa Maria Formagio Ferri, que disponibilizou para concorrer o colete infantil em feltragem e Sirlei Luiza da Silva, que demonstrou um cinto feito em feltragem.

A publicação das vencedoras, que vão para a etapa regional, ocorreu no domingo (23/08) e as peças das artesãs foram muito elogiadas pelos avaliadores. Para a coordenadora do Concurso Virtual na região de Porto Alegre da Emater/RS-Ascar, Magda Pereira, esta é uma oportunidade de resgate e valorização social, cultural da atividade artesanal com a lã ovina, visto ser a matéria-prima tão enraizada na vivência do gaúcho e, seu uso em peças artesanais, reflete a memória e identidade cultural do modo de vida, da lida campeira e rural do RS. Ademais, em um momento de isolamento social em razão da epidemia pela COVID-19 em que muitos eventos forma cancelados, os quais se constituíam em tradicionais locais de venda das peças, o concurso é também uma oportunidade econômica, a medida que promove a divulgação da produção de novas e belas peças.

Magda destaca também que o concurso foi planejado para estimular a continuidade da produção artesanal, divulgar a confecção de novas peças, bem como reunir e integrar as várias artesãs de todo o Estado, mesmo que virtualmente, promovendo o aspecto terapêutico que é intrínseco às atividades artísticas e artesanais.

O concurso é promovido com os objetivos de promover a valorização do artesanato em lã ovina, estimular os artesãos à produção contínua de peças, favorecer e reconhecer as atividades desenvolvidas em casa, nesse período de quarentena, como importante medida preventiva contra a pandemia.



Copyright © 2021 Jornal Integração.