Conecte com a gente!

Palmares do Sul

Vania Moraes analisa primeiros meses no comando da Câmara de Palmares

Publicado

em

A presidente do Legislativo de Palmares do Sul, Vania Moraes, recebeu a reportagem do Jornal Integração nesta semana para fazer um balanço dos primeiros meses liderando a Câmara Municipal. A emedebista fez uma boa avaliação dos trabalhos neste período, destacando a união e o comprometimento dos vereadores e funcionários da Casa.

“Posso avaliar em bem positiva esses primeiros meses à frente da presidência da Câmara. Muitos não acreditam, mas o meu signo é Libra, e o símbolo dele é uma balança, e eu sempre procuro dosar tudo, a capacidade de ser presidente. Em meu primeiro mandato, inclusive, preferi não ser presidente para adquirir mais experiência. Quando o Maurício assumiu como prefeito no primeiro mandato, ele me convidou para ser Secretária de Saúde, onde fui gestora de R$ 11 milhões e não fui apontada em nada. E com isso me encorajei, indo um degrau de cada vez”, disse Vania.

A vereadora comentou também sobre as suas principais qualidades, a fé e o otimismo, e ainda um receio chamado medo. “Sou otimista e tenho muita fé, mas também tenho muito medo. Medo de fazer alguma coisa errada a alguém. Mas isso me ajuda, já que consigo fazer as coisas com mais segurança e com os pés no chão”, disse.

Vania destacou a parceria com o Chefe do Executivo Mauricio Muniz. “Meu sonho era de que quando o Mauricio fosse prefeito, eu pudesse empossar ele como presidente da Câmara. Fui construindo esse caminho e meu principal pensamento era de como eu poderia ser uma boa gestora a frente do Legislativo. Está sendo muito gratificante, pois trago comigo a experiência de um primeiro mandato como vereadora e também funcionária pública na Saúde, uma das principais, se não a mais importante, pasta do município. Isso facilita muito”, exaltou Vania.

A presidente fez questão de lembrar a boa relação que tem com todos os vereadores. “Hoje, temos dois vereadores que são oposição na Câmara e o relacionamento com todos os colegas e os funcionários está transcorrendo muito bem. Existe sim discordância, é normal, mas acima de tudo há respeito. O diálogo acontece, minha sala está sempre aberta e cheia com visitas para discutir os temas que tramitam nesta Casa. Não é a presidente que decide, e sim todo o grupo de trabalho”, ressaltou.

A equipe de funcionários da Câmara também recebeu destaque da vereadora. “Imprescindível todos eles, desde o setor jurídico, financeiro, até a recepcionista. Sem eles não conseguimos fazer nada. São eles que fazem acontecer. Se não haver diálogo e você saber que precisa deles, não dá certo. Sempre pergunto como devemos fazer, da melhor maneira possível, pra mim como presidente e pra eles como funcionários. Meu gabinete nunca está vazio, estou sempre ouvindo a comunidade e a todos”.

Vania lembrou a responsabilidade que o vereador carrega representando a comunidade. “Quando eu levo algum assunto para a Tribuna, pode ter certeza que esse tema já foi discutido e analisado por muita gente, pois temos a responsabilidade de não falar coisas levianas para a população. Hoje sou vereadora e presidente da Câmara, então a responsabilidade é dupla. Nosso papel é fiscalizador, e o problema nunca tem um lado só. Temos que ouvir a todos para poder resolver. A comunidade tem que ser informada, e não desinformada”.

Entre as principais metas que a vereadora traçou para realizar na presidência está a organização do Regimento Interno da Câmara. “Nosso mandato é apenas de um ano, é curto, e muitas coisas que pretendemos realizar não conseguimos. “O Regimento está destoante da Lei Orgânica. Fizemos alguns levantamos, mas para isso teria um custo de aproximadamente R$ 20 mil. E em tempo de pandemia, qualquer economia é fundamental, já que no fim do ano devolvemos um valor para o Executivo. Então, o debate nós já iniciamos, e com certeza nos próximos quatro anos isso será feito. Na área política, o grande ganho que tivemos foi a aprovação do Projeto de R$ 4,8 milhões para serem investidos em melhorias na infraestrutura urbana de Palmares, conseguindo uma aprovação por unanimidade. Foi um projeto polêmico, mas todos entenderam que nosso poder de investimento é muito baixo, e o município só conseguiria fazer estas obras com esse financiamento. Isso marcou meu mandato, com certeza”, comentou.

Perguntada se era mais fácil lidar com poucos vereadores de oposição, Vania lembrou que a relação é igual com todos. “Isso não interfere em nada. Hoje temos o vereador Maneca, muito experiente e que conhece a Casa, e o vereador Filipe, novato que entrou com toda a sua disposição. É preciso ser transparente e convencer a todos que tudo é pela comunidade, e não pelo prefeito ou pela presidente da Câmara. Temos uma oposição consciente, de crescimento, e isso nos ajuda bastante. No fim, eles entendem que sempre buscamos o melhor para todos. O governo tem a maioria na Câmara, isso facilita, sim, mas aqui todos têm o mesmo tratamento e diálogo. O debate enriquece”, destacou.

Sobre a relação com o Executivo, Vania não mediu elogios ao bom relacionamento com o prefeito. “Eu e o Mauricio somos do diálogo e isso precisa em qualquer área. Recebemos um novo Promotor em Palmares, e deixamos as portas abertas para qualquer solicitação, sempre prezando pela conversa. Temos o exemplo a nível nacional, onde estão ocorrendo conflitos entre os poderes, com muita desinformação, o que acaba prejudicando toda a população, gerando uma insegurança sobre o futuro. Nós erramos sim, mas quando se há diálogo a margem de erro é muito menor”.

Vania destacou o investimento feito no sistema de som da Câmara. “Investi no som pois era antigo, possuía muitos ruídos e isso estava prejudicando a fala dos vereadores. Temos um amplo canal de transmissão das sessões, com uma qualidade muito boa, onde o público, apesar de ter o hábito de acompanhar presencialmente as sessões, está conectado com a Câmara através da internet. O importante é todos acompanharem e estamos oferecendo essa ferramenta para a comunidade”, disse.

Por fim, a presidente ressaltou que seguirá o mesmo método de trabalho até o fim do ano. “Não pretendemos fazer grandes obras ou feitos. Este ano ainda temos que segurar os projetos, pois não sabemos como será o futuro. Estão sendo dois anos atípicos que estamos vivendo. Que possamos terminar o ano com saúde, e construir juntos um futuro melhor. Vim da área da saúde, e a prevenção é a melhor opção. Tem muito trabalho, e continuaremos assim”, finalizou.



Copyright © 2021 Jornal Integração.