Conecte com a gente!

Palmares do Sul

Vereador faz denúncias na área da saúde em Palmares do Sul

Publicado

em

A sessão de segunda-feira, dia 21 junho, da Câmara de Vereadores de Palmares do Sul, foi marcada pelas fortes declarações do vereador Filipe Lang (PT) contra a gestão do Executivo durante a pandemia do coronavírus. Na tribuna, o vereador destacou o valor recebido pelo município para o combate ao vírus que, segundo ele, foi mau gerido pela administração. Segundo o vereador, Palmares recebeu mais de R$ 1 milhão para combater a covid-19.

“Em 2020, Palmares recebeu R$ 1.108.00,00, sendo que o Governo Federal mandou R$ 654 mil, depois mais um auxílio de R$ 163 mil, R$ 100 mil do Governo do Estado, R$ 45 mil através da Samu e Vigilância Sanitária do Estado, R$ 6.359,00 da Câmara de Vereadores, com doações dos vereadores, R$ 12.217,00 do Fórum de Palmares, R$ 100 mil da deputada Any Ortiz, e R$ 26.111,00 do Governo do Estado. Este montante é somente o que município recebeu, fora o seu próprio orçamento”, comentou Filipe.

Para o vereador, todos os recursos recebidos foram mal investidos na saúde. “Palmares soma hoje 34 óbitos pela covid e mais de 1.200 infectados desde o início da pandemia. Mas o que nos deixa triste é como esses recursos foram investidos. Foi comprado um notebook no valor de R$ 9 mil. Alguém conhece um notebook no valor de R$ 9 mil? Foram compradas 2.500 garrafas de 500ml de inox, onde foi gasto R$ 30 mil. O dinheiro da covid também foi gasto com vigilância, em segurança privada. O que isso ajuda no combate à covid? Usaram esse dinheiro para fazer campanha política, como a abertura do PA 24h em Quintão dois meses antes da eleição”, disse.

Filipe ainda seguiu com as fortes declarações. “Se esse R$ 1 milhão tivesse sido investido no combate à covid, não tínhamos 34 mortes em Palmares. Não foi comprado nenhum respirador, que custa R$ 50 mil. Para montar um leito de UTI se gasta R$ 200 mil. Quantas vidas palmarenses poderiam ser salvas? O prefeito Maurício, o vice Gilmar e a presidente dessa Casa, que não investiram o dinheiro no combate a covid, com certeza vão levar algumas dessas mortes nas costas. Palmares superfaturou testes do covid. Isso é farra com o dinheiro público. Vou fazer uma denúncia no Ministério Público”, finalizou Lang.

O próximo a usar a Tribuna, o vereador Sergio Gil (PDT) lembrou que a Secretária de Saúde esteve na Câmara, em reunião, e não foi questionada pelo vereador Filipe em vários pontos falados por ele na tribuna. “Eu estranho que a Secretária esteve nesta Casa hoje a tarde (segunda-feira) a pedido do próprio vereador, e ele não questionou vários pontos levados à tribuna agora. Acredito que não podemos apenas jogar para a torcida. Nós vereadores podemos fazer um pedido de informação e verificar onde foram gastos os recursos. Mas também precisamos medir as palavras, pois muitas vezes as informações chegam distorcidas até nós. Quando usamos essa tribuna não podemos ser levianos e dizer certas coisas, jogar a comunidade contra a administração. Quanto aos testes, houve registro de preço, onde um era de R$ 90,00 e outro R$ 100,00, e acabou sendo comprado por R$ 47,00. Onde está o problema aí? Isso precisa ficar claro para a comunidade. Não podemos vim jogar palavras ao vento na tribuna”, relatou Nenê.

Outro a comentar sobre o assunto foi Manoel Antunes, que se mostrou surpreso com as denúncias de Filipe. “Fiquei surpreso com a denúncia do vereador Filipe sobre as garrafas, onde poderia ter colocado esse assunto já em nossa reunião com a Secretária, até para nós sabermos. Ficou uma coisa no ar. Espero que meu colega tenha em mãos a documentação para ser investigada. Se tiver alguma irregularidade, pode contar com esse vereador para assinar um documento para abrirmos um processo para averiguar”, disse Maneca, que elogiou a presença da Secretária de Saúde em reunião com os vereadores. “Gostei do relato da Secretária, onde ela colocou com bastante sinceridade. Foi positiva a vinda dela aqui. O que nos preocupa é a questão financeira, e temos que nos reunir com o prefeito para tratar sobre esse assunto. Sabemos que medicamentos e utensílios da saúde subiram muito. Vamos ter que arrumar uma maneira para deslocar mais recursos para a saúde para suprir essas necessidades”, concluiu.

A presidente da Casa, vereadora Vania Moraes, esclareceu alguns tópicos levantados por Filipe Lang. “No governo passado, por não contratar uma empresa de segurança privada, depredaram um prédio de mais de R$ 600 mil. É mais barato contratar uma vigilância ou deixar um posto de saúde ser saqueado? Até os vasos sanitários foram levados. É essa economia que o vereador cobra? Em época de pandemia, onde as pessoas avançavam para ser atendidas, como não contratar seguranças para os postos? Quem não entende de saúde é contra. Quem não entende de dinheiro, de nada. Quero que conste em ata que o vereador Filipe traga a esta Casa provas de tudo o que foi dito. Quanto as garrafas, foram compra da Secretaria de Educação para os alunos, já que cada um teria que ter a sua para evitar contato com os demais e com o bebedor da escola. A Educação, diferente da Saúde, tem verba própria, e já teve prefeito aqui cassado por não gastar os 25% que é obrigado pela lei. Já teve prefeito que chegou aqui em outubro para comprar R$ 100 mil em uniformes pois não tinha gasto ainda os 25% na área de educação”, disse Vania.

A presidente ainda lembrou que quando se usa a tribuna é necessário que se traga a informação correta. “Está tudo no Portal da Transparência, é só saber interpretar. Só que é preciso também trazer a informação correta. Quero que o povo palmarense escolha o que é melhor: pagar uma empresa de vigilância ou ter o posto depredado. A oposição deve acontecer, mas fale a verdade. Já os recursos recebidos, em 2020 o governo federal enviou aos estados e municípios para perda de arrecadação, para usar nas perdas em geral, não só na saúde. É só ler a lei que vai entender. Vocês acham que se houvesse desvios o prefeito estaria hoje no comando? Não confunda a população. Não jogue palavras ao vento. Faça uma oposição inteligente”, comentou Vania.

Os demais vereadores não se pronunciaram sobre o assunto.

Prefeito Mauricio diz que não irá responder denúncias infundadas

O Jornal Integração procurou o prefeito de Palmares do Sul, Mauricio Muniz, para falar sobre as declarações do vereador Filipe Lang na sessão da Câmara. Mauricio disse que não irá perder tempo respondendo acusações infundadas. “Estamos trabalhando forte para o melhor para nossa cidade, como todos estão vendo. Cada semana chegando recursos para o crescimento do nosso município, e não vamos perder tempo com acusações infundadas. Não temos tempo para isso. Qualquer questionamento que chegar ao Executivo por parte dos vereadores iremos responder, como sempre fizemos”, disse o prefeito.

Quanto a acusação do vereador que ele, o vice Gilmar e a presidente da Câmara Vania Moraes iriam carregar uma culpa das costas devido as 34 mortes por covid, Mauricio disse que irá tomar as medidas cabíveis quanto a isso.

O Integração tentou contato com a Secretária de Saúde Juliana Gasso, mas não obteve sucesso.



Copyright © 2021 Jornal Integração.