Conecte com a gente!

Colunista: Gustavo Inácio

Vendas de arroz diminuem e preços oscilam, aponta Cepea

Cenário se deve à ocorrência de chuvas, que dificulta o transporte das propriedades para os engenhos, e também à baixa necessidade de caixa por parte de produtores

Publicado

em

As vendas de arroz em casca às indústrias beneficiadoras no Estado se enfraqueceram na última semana de junho. O cenário se deve à ocorrência de chuvas, que dificulta o transporte das propriedades para os engenhos, e também à baixa necessidade de caixa por parte de produtores. É o que aponta o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros (média ponderada), registrou alta de 1,18% entre 23 e 30 de junho, fechando a R$ 62,75/sc de 50 kg na terça-feira, dia 30, e encerrando o mês com crescimento de 0,38%. Todavia, com demandas pontuais, os preços oscilaram regionalmente.

Conforme colaboradores do Cepea, o beneficiamento e as vendas de arroz gaúcho tiveram ritmo mais acelerado a partir de março, atingindo recorde histórico em maio, com 829 mil toneladas comercializadas, segundo o Irga (Instituto Rio Grandense do Arroz). Em relação ao mesmo período de 2019, esse volume é 33,5% superior, fator que pode justificar o menor ritmo de vendas em junho, segundo o Cepea. Segundo agentes, as comercializações acima da média podem representar, na prática, um estoque maior no atacado e/ou varejo, o que levaria à uma menor necessidade de novas aquisições.

Safra de cebola 2020-2021

O Estado deve colher na safra 2020-2021 um total de 121 milhões 551 mil toneladas brutas de cebola. A área deve ser de 4.662,58 hectares em 4.052 unidades produtoras, a maioria de agricultores familiares. A produtividade deve ficar em torno de 26.069,62 kg/ha. O prognóstico foi apresentado pela Emater/RS-Ascar, conveniada da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), na reunião por videoconferência da Câmara Setorial da Cebola na última terça-feira, dia 30. Aproximadamente 98% da cebola é plantada através de transplante manual de mudas, fator que aumenta a mão de obra familiar e contratada. Os maiores produtores gaúchos são os municípios de São José do Norte, Tavares, Rio Grande, Nova Pádua, Caxias e Ibiraiaras.

Na reunião setorial foi apontado como um dos desafios da atividade a importação de cebola nos meses de abril e maio, quando a produção nacional tem uma queda expressiva. A Argentina é o país que mais vende para o Brasil, com 40 mil toneladas, seguido da Espanha e Países Baixos, principalmente a Holanda. Em 2019, a importação chegou a 211.523 toneladas. Só até maio deste ano já foram importadas 136.909 toneladas de cebola.

Alerta de golpe

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) fez um novo alerta para as prefeituras e produtores rurais sobre a ação de golpistas que, dizendo-se representantes do Estado, têm oferecido produtos e serviços em troca de depósito de valores, a título de frete. Em 25 de maio deste ano, a Secretaria já havia emitido um alerta, no entanto, novos casos foram registrados. A Seapdr esclarece que programas e políticas públicas são feitos por meio de convênios e termos de cooperação, cujos depósitos de valores, quando necessários, são feitos em contas do Estado no Banrisul.

A pasta destaca que não existe comercialização de materiais do governo e que qualquer destinação é feita de acordo com os princípios da administração pública, e não diretamente com particulares. A Secretaria orienta ainda que, se alguém for contatado nesse sentido, registre boletim de ocorrência na delegacia de polícia mais próxima.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Copyright © 2021 Jornal Integração.