Conecte com a gente!

Colunista: Gustavo Inácio

Agro é o único setor da economia a crescer na pandemia

Publicado

em

O IBGE apontou na semana passada que o setor agropecuário foi o único da atividade econômica nacional a crescer no primeiro trimestre do ano. A agropecuária apresentou crescimento de 0,6% no período em comparação ao quarto trimestre de 2019. Comparado a igual período do ano anterior, o setor teve crescimento de 1,9%. Segundo o IBGE, “o resultado é explicado, principalmente, pelo desempenho de alguns produtos da lavoura com safra relevante no primeiro trimestre, como a soja, e pela produtividade”. Além disso, apesar do coronavírus, o PIB do setor agropecuário brasileiro deve ter alta de 2,5% em 2020, conforme previsão do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base em dados do IBGE.

Economia de R$ 214 milhões sem vacina contra aftosa

Na quarta-feira, dia 3, quando participou do programa Tá na Mesa, da Federasul, o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, afirmou que a retirada da vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul – que busca se tornar zona livre sem vacinação – trará uma economia aos produtores e ao setor que pode chegar a R$ 214 milhões ao ano, tendo em vista os custos das doses, a logística de distribuição, mão-de-obra e a perda de peso dos animais por reação à vacina. Além disso, Covatti Filho enfatizou o aumento no potencial de novos negócios com a retirada da vacina, uma vez que este passo abrirá as portas da carne gaúcha para mercados mais exigentes, que não compram de locais com vacinação contra a aftosa e, portanto, pagam mais. “Em conversas com empresas do setor e o governador, é possível que haja um investimento de R$ 13 bilhões em novas plantas frigoríficas no Estado assim que a retirada da vacina se concretizar”, disse. Na última etapa de vacinação, que foi antecipada para março, 97% do rebanho gaúcho foi imunizado. Caso o RS consiga a evolução do status sanitário, esta será a última campanha de vacinação no Estado. A auditoria do Ministério da Agricultura, que vai fazer a avaliação, deve acontecer em agosto.

Expointer confirmada para agosto

Covatti Filho também confirmou no programa da Federasul que a realização da Expointer está, por enquanto, mantida de 29 de agosto a 6 de setembro. Segundo ele, “no atual cenário, damos garantia de que nossa Expointer vai sair. Se tiver que ser adiada, será até o fim de setembro, porque em outubro já começa a safra de verão”.

Ascar completa 65 anos

Visando orientar o pequeno agricultor a acessar crédito supervisionado e desenvolver a agricultura e o bem-estar das famílias rurais, foi fundada no dia 2 de junho de 1955 a Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural (Ascar), protagonista no desenvolvimento rural do RS. Todavia, somente em 14 de março de 1977 foi então criada a Emater/RS (Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural), que se somou à Ascar. Juntas, a Emater/RS-Ascar executa as principais ações, programas e políticas públicas. Na trajetória de 65 anos, a Instituição tornou-se referência no uso de metodologias de comunicação e de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters), atualmente atuando em parceria com a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). Hoje, a Emater/RS-Ascar é uma referência de extensão rural do RS e do Brasil.



Copyright © 2021 Jornal Integração.