Conecte com a gente!

Colunista: Gustavo Inácio

Programa de incentivo ao Milho

Gustavo Inácio

Publicado

em


Responsável por 10% do PIB gaúcho, o milho ganha um novo incentivo no Estado. Cereal estratégico para a agricultura, tendo em vista a importância nas cadeias produtivas de aves, suínos e bovinos, a cultura recebe a partir de sexta-feira, 7, uma nova perspectiva, com uma política específica para o setor. É que a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) lança na data o Programa Estadual de Produção e Qualidade do Milho (Pró-Milho RS). O objetivo é tornar o RS autossuficiente, buscando diminuir a dependência do produto oriundo de outros estados. As discussões para a criação do Pró-Milho RS se concentraram em três eixos. Na produção, intensificar a assistência técnica aos produtores, maior eficácia tecnológica, aumento da área irrigada de milho, pesquisa de variedades mais adaptadas a cada região e aumento de produtividade. No eixo qualidade, aumentar o número de secadores de grãos, modernizar os procedimentos de recebimento, limpeza e secagem e ampliar a capacidade estática de armazenamento no Estado. Já para a comercialização e crédito, ampliar as comercializações antecipadas e a utilização de mecanismos de travamento de preços, como contrato a termo, mercado futuro e contrato de opções; agilizar as contratações dos financiamentos de custeio e investimento; e buscar parcerias com agentes financeiros e bancos para financiamentos de equipamentos de irrigação, secadores e armazéns. Construído com a participação de entidades representativas, produtores, cooperativas, cerealistas, integradoras de aves e suínos, além das entidades de pesquisa, ensino e assistência técnica, o programa tem tudo para deslanchar e ajudar o Estado a atingir esse objetivo histórico.

Queda no preço da carne bovina

Levantamento semanal da Emater/RS-Ascar demonstra que os preços do boi e da vaca para abate no RS continuam em trajetória de queda. Na última semana, o preço do boi baixou mais 1,16%, passando de R$ 6,92 para R$ 6,84/kg vivo. Já o valor da vaca caiu 1%, indo de R$ 6,00 para R$ 5,94/kg vivo.

Todavia, esses valores são expressivamente maiores que os registrados há um ano. De 31 de janeiro de 2019 até agora, o preço do quilo vivo do boi para abate teve um acréscimo de 27,14% e o da vaca ficou 28,29% maior. O boom da carne bovina principalmente no segundo semestre do ano passado acabou refletindo também nos valores do frango, suíno e cordeiro. O interessante será observar se essa queda nos preços será repassada ao consumidor.

Alerta de golpe

A Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) tem alertado prefeituras e produtores rurais para a ação de golpistas que, dizendo-se representantes do Estado, têm oferecido diferentes produtos e serviços em troca de depósito de valores, a título de frete. Conforme o órgão, programas e políticas públicas são realizados por meio de convênios e termos de cooperação, cujos depósitos de valores, quando necessários, são feitos em contas do Estado no Banrisul. A Seapdr destaca que não existe comercialização de materiais do governo e que qualquer destinação é feita de acordo com os princípios da administração pública, e não diretamente com particulares. A Secretaria orienta que se alguém for contatado nesse sentido, informe a Polícia Civil.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunista: Gustavo Inácio

Plantio de milho em Capivari do Sul

Henrique Pajares

Publicado

em

Nas próximas semanas deve se intensificar o plantio de milho no município. Até agora já foram semeados aproximadamente 15 hectares com o grão. Conforme levantamento do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar e da Secretaria de Infraestrutura, Ordenamento Rural e Meio Ambiente de Capivari do Sul, a expectativa é que sejam plantados nesta safra 85 hectares com a cultura, entre milho grão e milho silagem. O aumento de área ocupada com a cultura se deve aos bons preços recebidos pelos produtores, principalmente na comercialização da silagem, que vem tendo preços oscilando entre R$ 350 a R$450,00/ton durante este ano.

Tempo na palma da mão

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) lançou um aplicativo voltado às condições meteorológicas do campo. Trata-se da versão do aplicativo SISDAGRO (Sistema de Suporte à Decisão na Agropecuária) para celular. Segundo o Inmet, o app foi desenvolvido para apoiar usuários do setor agrícola em suas decisões de planejamento e manejo agropecuário. A plataforma atende aos técnicos agropecuários, produtores do setor agrônomo, bem como gestores governamentais que executem políticas públicas voltadas ao setor agrícola. Além disso, o sistema oferece informações meteorológicas registradas em uma rede de Estações do Inmet, bem como de dados obtidos por modelos de previsão numérica do tempo, referentes às variáveis: temperatura, precipitação, umidade relativa do ar, velocidade e direção do vento e radiação solar. Além do monitoramento agrometeorológico, o SISDAGRO conta com a previsão de condições favoráveis à formação de geada, sendo classificadas como forte, moderada e fraca. Por enquanto, o app está disponível apenas para o sistema Android.

Benefícios da Pitaia

Um estudo da Embrapa Agroindústrial Tropical, do Ceará, realizado com animais, mostrou que a Pitaia apresenta um grande potencial para auxiliar no controle do colesterol, da glicemia e da ansiedade. Conforme a pesquisa, a fruta foi eficaz na redução do colesterol total, do LDL e dos triacilgliceróis e na elevação do HDL (conhecido como “colesterol bom”). Em animais diabéticos, as doses de 200 mg/kg e 400 mg/Kg apresentaram atividades farmacológicas promissoras, reduzindo significativamente a glicemia no grupo tratado. Os testes demonstraram efeito ansiolítico e ausência de toxicidade nas concentrações avaliadas. Contudo, a Embrapa ressalta que há um longo caminho entre os estudos realizados e os testes clínicos com humanos, efetuados por instituições de saúde. Mesmo sendo favoráveis, os resultados “não significam que as pessoas devam substituir seus remédios pela fruta”, alerta Ana Paula Dionísio, uma das pesquisadoras da Embrapa.

Consulta Popular 2020

Para a Consulta Popular deste ano foram elencados 96 projetos, distribuídos em 28 microrregiões do Estado, conforme a prioridade de cada local. Para o Corede Litoral Norte, quatro desses projetos são voltados à agricultura. São eles: roteiros integrados; comercialização direta dos produtos do campo; mapeamento de potencialidades turísticas; e programa de apoio à agricultura familiar e associativa para a produção sustentável, com ênfase no jovem produtor. Cada projeto tem à disposição até R$ 314.285,71. A consulta, que acontece desde 1998 no Estado, será totalmente virtual, pelo site www.consultapopular.rs.gov.br ou por

Continue lendo

Colunista: Gustavo Inácio

Expointer Digital 2020 começou sábado

Gustavo Inácio

Publicado

em

Começou neste sábado, dia 26 de setembro, a Expointer Digital 2020. Segundo a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), mais de mil animais, entre ovinos, bovinos e equinos de 18 raças marcarão presença no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, que comemora 50 anos em 2020. Devido ao coronavírus, entretanto, este ano não haverá o Desfile dos Campeões. Em vez disso, acontecerá o Desfile Oficial da Expointer, dia 3 de outubro, no sábado. A exposição é realizada pela Seapdr e várias entidades. Vale a pena conferir esta edição diferenciada da Expointer, que mesmo à distância, trará os melhores exemplares das raças de bovinos, ovinos e equinos do Estado./ O evento, que ocorre até o dia 4 de outubro, pode ser acompanhado pelo site www.expointer.rs.gov.br.

Prazo do ITR 2020 encerra dia 30

Termina no próximo dia 30 de setembro o prazo para a declaração do Imposto Territorial Rural 2020. Está obrigada a apresentar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) a pessoa física ou jurídica, exceto a imune ou isenta, proprietária, titular do domínio útil ou possuidora a qualquer título do imóvel rural. Também está obrigada a pessoa física ou jurídica que, entre 1º de janeiro de 2020 e a data da efetiva apresentação da declaração, perdeu a posse do imóvel rural ou o direito de propriedade pela transferência ou incorporação do imóvel rural ao patrimônio do expropriante.

RS registra casos de sementes não solicitadas do exterior

O Estado registrou os primeiros casos de sementes não solicitadas do exterior na semana passada. Conforme a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), o RS tem seis ocorrências notificadas. A Secretaria fez um alerta no dia 14 de setembro sobre o assunto e orientou a população que, caso recebam pacotes de sementes não encomendados, entreguem o material à inspetoria de defesa agropecuária ou escritório de defesa agropecuária mais próximo do seu município. Conforme orienta a Seapdr, “o pacote não deve ser aberto ou descartado no lixo, nem o material ou as sementes devem ser cultivados ou descartados no solo sob nenhuma hipótese, a fim de evitar que estas sementes atinjam o meio ambiente e áreas agrícolas do Estado”.

Arroz americano no Brasil

Na semana passada, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou a venda de cerca de 30.000 toneladas de arroz para o Brasil. A importação do arroz americano vem ao encontro da decisão da Câmara de Comércio Exterior do Brasil de zerar a TEC (Tarifa Externa Comum) do Arroz, permitindo a importação de 400 mil toneladas do produto até dezembro de 2020, como medida para reduzir os preços do cereal no mercado interno.

Chuvas em Capivari do Sul

Conforme levantamento extraoficial da Secretaria de Infraestrutura, Ordenamento Rural e Meio Ambiente de Capivari do Sul, desde o início do ano, são 1484 milímetros de precipitação pluviométrica no município. Por mês, o volume registrado de chuvas ficou assim: janeiro, 184mm; fevereiro, 95mm; março, 75mm; abril, 20mm; maio, 101mm; junho, 334mm; julho, 330mm; agosto, 122mm; setembro, 223mm.

Continue lendo

Colunista: Gustavo Inácio

Retirada da taxa de importação para o arroz

Gustavo Inácio

Publicado

em

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu na quarta-feira, dia 9, zerar a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado até 31 de dezembro deste ano. Com isso, abre-se a possibilidade de importação de até 400 mil toneladas do grão, incidente nos produtos abarcados pelos códigos 1006.10.92 (arroz com casca não parboilizado) e 1006.30.21 (arroz semibranqueado ou branqueado, não parboibilizado) da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM). A ministra Tereza Cristina anunciou o pedido ao Gecex e disse que não irá faltar arroz no país. Conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a produção de arroz estimada para a próxima safra (2020/21) é de 12 milhões toneladas, um incremento de 7,2% em relação à safra anterior.

Mercado arrozeiro

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) aponta que as cotações recordes do arroz em casca devem estimular produtores a aumentarem a área na próxima temporada. De 31 de agosto a 8 de setembro, o Indicador do arroz ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros, com pagamento à vista, registrou expressivo aumento de 10,8%, fechando a R$ 104,17/saca de 50 kg na terça-feira, dia 8 – renovando seu recorde real histórico da série do Cepea (deflacionada pelo IGP-DI de agosto/20). Além disso, pesquisadores do próprio Cepea afirmam que as altas seguem atreladas à demanda aquecida. Segundo a instituição, os produtores “ainda avaliam os custos e receitas, assim como a perspectiva para o período de comercialização em 2021, para efetivamente decidirem a área a ser destinada ao cereal”.

Abertura da Colheita do Arroz

A 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas já tem data definida. O evento ocorre de 9 a 11 de fevereiro de 2021 na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS). A Federarroz é a entidade realizadora, com correalização da Embrapa e apoio do IRGA. Nesta edição, o lema “Os novos rumos do sistema de produção” estará no centro do debate da programação, que reúne produtores de diversas regiões do país, engenheiros agrônomos e técnicos, agentes políticos, as principais instituições de pesquisa e ensino do setor, além das empresas que mais investem em tecnologia agrícola no mundo.

Continue lendo

EM ALTA



Copyright © 2020 Jornal Integração. Desenvolvido por BLOOPER.